domingo, 2 de outubro de 2016

GIS Corporativo FLEX, um novo "mundo" de oportunidades

GIS Corporativo FLEXO Brasil continua engatinhando quando o assunto é GIS Corporativo. Se avaliarmos os casos de sucesso e a dimensão do nosso país, fica fácil observar que existe um problema na evolução dos projetos de GIS que iniciam normalmente com um desktop, mas depois ficam estagnados e não conseguem chegar ao servidor de mapas (serviços OGC) ou ao banco de dados espacial corporativo. Em geral, quando o projeto inicia com software livre a possibilidade de evoluir para um projeto corporativo é maior devido principalmente à ausência do custo de licenciamento, o que torna o investimento bem aceitável.

"Soluções em software livre possuem maior facilidade em evoluir para um GIS Corporativo principalmente devido à ausência do custo de licenciamento"
Então como ficam os casos das empresas e instituições que iniciaram com o software proprietário? Para os usuários do ArcGIS Desktop, eu apresento uma novidade que irá abrir novos caminhos para uma arquitetura FLEX (híbrida, heterogênea, etc) com o software livre perfeitamente integrado com o software proprietário. O plugin desenvolvido para o ArcGIS que possibilita esta integração é o GeoCat Bridge. Ao longo de alguns dias, eu fiz inúmeros testes utilizando o ArcGIS Desktop 10.4 e o OpenGeo Suite e pude constatar a eficiência do plugin, além do excelente atendimento da equipe de suporte. 

"O GeoCat Bridge possibilita a publicação de dados do ArcGIS Desktop diretamente no GeoServer, no MapServer e no GeoNetwork"

Os meus testes foram concentrados na arquitetura apresentada a seguir. Eu utilizei inúmeros recursos do ArcGIS Desktop para verificar a robustez do GeoCat Bridge no processo de publicar elementos gráficos mais complexos, envolvendo diferentes estilos de contornos e preenchimentos, mapas temáticos em vários formatos e regras, camadas matriciais resultante de análises, etc. Os resultados superaram as minhas expectativas.



Uma das grandes vantagens na evolução para uma arquitetura flex/híbrida é aproveitar o investimento feito anteriormente em licenças e treinamentos relacionados ao ArcGIS Desktop. Desta forma, a empresa poderá colher as vantagens de incorporar o GeoServer e o PostGIS (ambos softwares livres) para montar um GIS Corporativo sem custos adicionais de licenças.  Recomendo também incorporar o QGIS pois poderá ser útil se a empresa planejar expandir os terminais com novos colaboradores.

"O suporte da empresa GeoCat também foi um ponto muito positivo"

A utilização do GeoCat Bridge foi muito simples e não houve qualquer problema em seguir o processo de instalação para ativar a extensão. Para tratar alguns pontos mais específicos da versão 10.4 do ArcGIS Desktop, eu pude interagir com o suporte da GeoCat que se mostrou muito prestativo e solícito. Avaliar o suporte é fundamental para quem trabalha com projetos corporativos.

https://media.licdn.com/mpr/mpr/AAEAAQAAAAAAAAhlAAAAJDI2NjZmNTg4LTkxYzEtNDg1My04MWU2LThjZTEyMTI0ZmMyZQ.png

Para concluir, destaco que o mercado brasileiro poderá usufruir muito desta proposta de Arquitetura Flex, pois o ArcGIS Desktop é um GIS muito utilizado e disseminado. Apesar disso, o ArcGIS Server está longe de ser popular no Brasil pois os valores praticados por aqui inviabilizam o investimento por parte da grande maioria das empresas e instituições públicas. Desta forma, o GeoCat Bridge é um caminho viável, seguro e de baixo custo para ajudar as empresas na caminhada para o GIS Corporativo. Em breve, estarei fazendo um segundo post sobre este tema, mostrando vídeos com o funcionamento prático da arquitetura. Se tiver interesse em implantar esta solução na sua empresa, você pode contatar a UTEI que disponibiliza esta arquitetura através da solução UGeo.

Deixo os meus agradecimentos para Trang Minh Pham e Anton Bakker pelo apoio técnico.